MESA-REDONDA DO IPG REÚNE REPRESENTANTES DA SOCIEDADE CIVIL PARA DEBATER O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO EM PETRÓPOLIS

Compreender a situação da economia em Petrópolis e refletir sobre possíveis soluções para que a cidade se desenvolva de forma integrada ao meio ambiente foram alguns dos assuntos que surgiram durante a Mesa-Redonda “Desenvolvimento Econômico em Petrópolis – Desafios, Perspectivas e Soluções”, realizada nesta terça-feira (14/03), no auditório do Sicomércio.

O evento contou com mais de cinquenta participantes de diversos segmentos da sociedade, como empresários, professores, servidores públicos, membros de Organizações da Sociedade Civil, CUFA Petrópolis, BioMob e Firjan. Também estiverem presentes a Vereadora Gilda Beatriz e o assessor parlamentar Rafael Esteves, representando o mandato do Deputado Yuri Moura.

A preocupação com o crescimento econômico sustentável, diante do novo cenário imposto pela pandemia e pelos recentes eventos climáticos em Petrópolis, motivou a retomada do ciclo de mesas-redondas, como o que foi realizado em 2018, quando foram discutidas as vocações econômicas do Município.

Da esquerda para a direita: os facilitadores Cleveland Jones, George Paiva, Marcelo Soares e Silvia Guédon

Silvia Guédon, Presidente de Honra do IPG, fez uma introdução com o histórico de Philippe Guédon e a trajetória do IPG. Em seguida, Cleveland Jones, Presidente do IPG, apresentou algumas das ações do IPG que levaram à construção do PEP20 – Planejamento Estratégico para Petrópolis, e à realização da atual mesa redonda. George Paiva, Diretor de Estratégias do IPG, fez um apelo à participação da sociedade nas ações do Instituto, para tornar os anseios da sociedade, expressos neste exemplo de gestão participativa, em resultados concretos junto à administração pública.

Para facilitar a participação, alguns temas considerados desafios foram apresentados pelo IPG, como por exemplo: integrar economia, sustentabilidade e preservação ambiental; infraestrutura deficiente e defasada de internet, telefonia e logística; transporte público precário e carência de oportunidades de emprego e geração de renda. Também algumas perspectivas foram destacadas, como turismo, associativismo e tecnologia, setores importantes para alavancar o desenvolvimento econômico da cidade. 

Diante da importância de conhecer as ações e prioridades para o desenvolvimento econômico do município, do ponto de vista da administração pública, o IPG convidou Marcelo Soares, Secretário de Desenvolvimento Econômico, para apresentar o trabalho e objetivos de sua pasta. Marcelo Soares mencionou alguns pontos positivos da atual conjuntura do município, como a tendência favorável do crescimento de empregos formais e da arrecadação do município. Também frisou alguns pontos fortes da atratividade para negócios no município, como a disponibilidade de recursos humanos qualificados, a presença de diversas instituições de ensino superior e profissionalizante, a relativa segurança do município, a tradição e diversificação da economia local, e os próprios esforços da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para atrair novos negócios.

Após a apresentação do Secretário, diversos questionamentos foram levantados, em relação ao que a administração pública ainda pode fazer para melhorar o ambiente de negócios em Petrópolis. Houve ampla participação dos que estavam presentes, em relatar gargalos e desafios para o desenvolvimento econômico do município, assim como indicações para possíveis sugestões.

Também foi destacada a importância para o município e seu desenvolvimento econômico, do planejamento estratégico de longo prazo em todas as ações e esferas, como preconizado pelos esforços do IPG em promover a criação de um Instituto de Planejamento Estratégico permanente em Petrópolis, um dos objetivos estatutários do IPG, como o que já existe em várias cidades do país.

Outras questões importantes para que se pensem as soluções foram apontadas, entre elas: o trabalho híbrido que se firmou durante  a pandemia e que continuará sendo uma realidade; a infraestrutura precária do transporte público e dos serviços das concessionárias, que impacta todo o setor empresarial, incluindo quem trabalha em casa; a necessidade de minimizar e prever melhor os problemas ambientais agravados pelas mudanças climáticas, ou seja a necessidade de conclusão das obras para evitar enchentes e de efetuar ações para a previsibilidade desses eventos. Algumas soluções de curto prazo também foram citadas, como implementar a tecnologia de rede compactada na fiação elétrica em áreas arborizadas, para evitar podas desnecessárias, e a importância de facilitar o acesso dos empresários a seguros que cubram prejuízos causados por eventos climáticos, como os que aconteceram no ano passado.

Cleveland Jones disse que o IPG “formará subsequentes mesas redondas com temas mais específicos, conforme as discussões que surgiram neste evento, e que todas as contribuições serão feitas de forma propositiva, sem acusações gratuitas”. George Paiva frisou que somente de forma colaborativa o trabalho do IPG e de seus colaboradores será eficaz e terá mais chances de ser implementado com sucesso.

Durante o evento, o IPG também colocou à venda exemplares do último livro (póstumo) de Philippe Guédon – “Um Olhar Cidadão Sobre a Democracia Brasileira,” e disponibilizou sua chave de Pix para receber o apoio financeiro essencial para continuar desenvolvendo ações em prol de um ambiente de mais oportunidades para o desenvolvimento de Petrópolis, e de mais qualidade de vida para todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s